6 benefícios do convívio com plantas

Assim como um bichinho de estimação, ter uma plantinha dá trabalho! É preciso regar, cuidar, podar… Mas o convívio das crianças com as plantas pode ensinar valores como respeitar a natureza, aceitar as diferenças e ter paciência. Confira 6 benefícios que as plantas propiciam aos pequenos:

1. Responsabilidade
Como plantas são seres vivos, todos dentro de casa devem ajudar nos cuidados. A partir dos 3 anos a criança já tem noção de que é preciso cuidar, então ela pode ser incumbida de regar as plantas sozinha! Estabeleça uma rotina, prepare um regador e veja a felicidade de seu filho em ajudar!

2. Organização
Estimule a criançada a reconhecer os diferentes tipos de plantas, suas folhas, estruturas e cores. Neste momento você poderá ensinar sobre as diferentes categorias como aquelas que dão frutos e as que não, as aromáticas, que podem ser usadas como temperos, e as medicinais, para fazer chás e óleos.

3. Sofisticação dos sentidos
Observar formatos e cores das folhas e flores, sentir as texturas, provar os frutos, cheirar e distinguir diferentes aromas…. que delícia!

4. Respeito à natureza
Ao ajudar no cuidado com as plantas, as crianças percebem que, assim como as pessoas, cada uma tem necessidades diferentes: umas mais água, outras menos. Este simples exercício pode ampliar o olhar sobre as diferenças e tornar mais fácil o caminho para o respeito e preservação.

5. Paciência
Dependendo da planta, a criança terá a oportunidade de presenciar todo um ciclo de desenvolvimento: o surgimento das raízes, o crescimento do caule, das folhas, o desabrochar das flores e o amadurecimento dos frutos. Mesmo que não sejam plantas frutíferas, o próprio ciclo de renovação das folhas pode ser um exercício bem interessante.

6. Valor aos alimentos naturais
Estudos apontam que crianças envolvidas com jardinagem consomem em média 15% mais frutas e legumes do que os outros. Hoje em dia, as crianças só veem os alimentos prontos! Ao apresentar como crescem os legumes, verduras e frutas, você mostra uma nova perspectiva sobre o que ela consome e pode despertar maior interesse pela nutrição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *