Contratempos da Gestação

Durante os 9 meses de gestação, o corpo da mãe muda completamente! É maravilhoso sentir o bebê crescendo e aos poucos estabelecer comunicação com ele. Mas este período também pode ser acompanhado por alguns contratempos, mais ou menos desagradáveis, dependendo de mulher para mulher. Conhecer alguns deles e tomar algumas precauções podem melhorar o conforto. Descubra agora!

Enjoo
Geralmente o enjoo surge algumas semanas após a fecundação e dura até o final do primeiro trimestre. São mais intensos de manhã e atenuam-se com o decorrer do dia. 50% das gestantes sentem enjoos durante a gravidez.

Os enjoos nesta fase estão associados ao aumento de determinados hormônios no sangue (estrogênio e gonadotrofina coriônica). Se sentir enjoo, converse com o seu médico: ele indicará quais os medicamentos corretos e permitidos para a aliviar. Em paralelo, alguns hábitos podem ajudar a diminuir os enjoos:

  • Fuja dos cheiros e dos sabores fortes.
  • Coma pouco de cada vez, mas muitas vezes durante o dia. Absorver pequenas quantidades de cada vez evitará o dilatar do estômago.
  • Escolha apenas alimentos que lhe apeteça.
  • Coma alimentos ricos em hidratos de carbono a cada refeição (arroz, massas, pão, cereais), preparados da forma mais simples possível.
  • Evite o stress e descanse o máximo possível.

Alerta: se os enjoos forem acompanhados por vômitos e você observar que está perdendo peso, avise seu ginecologista o mais breve possível.

Ardor no estômago
Às vezes presente desde o início da gravidez, o ardor no estômago e o refluxo gástrico são mais frequentes durante o último trimestre. Podem ser intensos após as refeições, quando se deita ou quando se inclina para a frente. Os hormônios são mais uma vez a causa: reduzem a atividade gástrica tornando a digestão dos alimentos mais demorada. Os sucos gástricos surgem no nível da garganta provocando a sensação desagradável de ardor. Alguns hábitos podem diminuir este mal-estar:

  • Jante cedo para que a digestão já esteja adiantada ao se deitar.
  • Elimine alimentos ácidos (pimentos, vinagre, limão, etc.) ou muito gordurosos (queijos, molhos, fritos, etc.), alimentos condimentados e café de suas refeições.
  • Ao descansar, dê preferência à posição semissentada para limitar o refluxo.

Obstipação
Contratempo mais comum da gravidez, a obstipação está associada (numa primeira fase) às alterações hormonais que induzem a preguiça digestiva e depois, ao longo da gravidez, o útero passa a pesar mais sobre os intestinos, reduzindo a atividade dos mesmos. Outro fator pode estar relacionado aos suplementos de ferro recomendados durante a gravidez, que também conduzem a fortes obstipações.

Desagradável por si só, a obstipação pode favorecer o aparecimento de hemorroidas e por isso, é importantíssimo estimular o trânsito intestinal. O que pode ajudar:

  • Inicie o dia com um copo de suco de laranja natural ou com um pedaço de mamão.
  • Beba muita água.
  • Siga um regime alimentar rico em fibras (fruta, legumes, cereais integrais…).
  • Pratique diariamente uma atividade física suave (caminhadas, natação).

Problemas circulatórios
Da mesma forma que os contratempos anteriores, os problemas circulatórios são muito comuns: dores nas pernas, inchaço das mãos e dos pés, varizes, etc. Essas sensações desagradáveis são mais intensas no verão devido ao calor e no final da gravidez devido ao aumento de peso. Dicas simples para atenuar o desconforto:

  • Evite ficar de pé sem se movimentar durante muito tempo.
  • Não cruze as pernas quando estiver sentada, para não cortar a circulação.
  • Eleve os pés quando estiver deitada.
  • Lave as pernas com água fria regularmente.

Alerta: em caso de quadro mais grave, apenas seu médico deve indicar que tipo de meia elástica ou medicamentos são os melhores para seu caso.

Problemas dentários
Os dentes e as gengivas podem ficar fragilizados pelas modificações hormonais durante toda a gravidez. Podem surgir inflamações das gengivas e cáries. A dica aqui é simples: logo no início da gravidez, consulte o seu dentista para minimizar problemas futuros. Além disso, durante toda a gravidez, esteja sempre atenta à higiene oral.

Estrias / Pele Seca / Coceira
Durante a gravidez, as estrias podem se formar devido ao efeito conjugado do estiramento rápido da pele com as alterações hormonais. Atingem principalmente a barriga, os seios, as nádegas, o quadril e as coxas. Para minimizar o risco de aparecerem, tenha controle do aumento de peso e mantenha sua pele hidratada.

Também por conta das alterações hormonais, a epiderme tem tendência a desidratar e a ficar seca durante a gravidez. As alterações da circulação sanguínea e os estiramentos a que a pele está submetida conduzem por vezes a irritações e a coceira, especialmente na barriga. Para aliviar, utilize na higiene um produto suave e sem sabão, evite as esfoliações e aplique de manhã e à noite em todo o corpo um cuidado hidratante específico para gestantes.

Alerta: Se a coceira surgir em outra zona do corpo ou se se estender a todo o corpo, fale com o seu médico pois pode se tratar de um problema hepático.

Dores nas costas
No último trimestre, a barriga fica muito pesada e volumosa. Para manter o equilíbrio a gestante assume uma curvatura que maltrata as vértebras lombares. Para aliviar as dores nas costas sugere-se:

  • Usar calçado sem salto.
  • Evitar esforços físicos.
  • Quando precisar pegar algo do chão (ou pegar uma criança), baixe-se de cócoras ao invés de se inclinar.
  • Se possível, opte por um colchão firme.

Perturbações do sono
Durante toda a gravidez, a necessidade de dormir é bem grande. Toda gestante sente sono e no final da gravidez, o volume do útero e os movimentos do bebê dificultam ainda mais o dormir, tornando o sono mais leve e menos reparador, com frequentes insônias. Como diminuir este desconforto:

  • Pratique uma atividade física: o exercício cansa o corpo e liberta endorfinas que contribuem para o bem-estar.
  • Tome um banho quente e beba um chá de flor de laranjeira ou de camomila antes de se deitar.
  • Não lute contra o sono: deite-se de imediato ao primeiro sinal de cansaço.
  • Dedique um pouco de tempo a relaxar antes de se deitar: respire profundamente sem pensar em nada, ouça uma música suave…
  • Tome seu suplemento vitamínico conforme orientação médica. Falta de magnésio pode implicar no aparecimento de cãibras e formigamento nas pernas, perturbando o sono.
  • Se as insônias forem persistentes, aceite naturalmente o tempo que está acordada: o organismo prepara-se para as noites com interrupções que vai ter com o bebê! Acenda uma luz suave, leia um bom livro e espere pelo sono. Em contrapartida evite ver televisão: ela estimula as funções cerebrais, o que a pode impedir de adormecer.

Cansaço
A sensação de cansaço extremo inicia já no primeiro trimestre de gravidez porque está associada principalmente ao aumento de progesterona, um hormônio que tem um efeito sedativo. No segundo trimestre, o cansaço atenua-se para voltar com força no terceiro trimestre devido ao peso do bebê e do útero. A dica aqui é universal: cuide de si e descanse o máximo possível. Durma e faça pequenas sonecas sempre que possível.

Conclusão
Além das alterações já mencionadas, lembre-se que durante a gravidez há mais sangue circulando, seu coração bate 20% a mais que o normal, o útero aumenta e comprime os demais órgãos. Todas essas modificações do corpo são normais e necessárias para o desenvolvimento saudável do seu bebê. Entender um pouco o que acontece nessa fase é importante para observar e ficar atenta a problemas silenciosos que podem surgir. Como dica final e imprescindível, converse sempre com seu médico! Ele saberá a melhor forma de tratar ou diminuir seus possíveis desconfortos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *