Dificuldades de alimentação nas primeiras semanas de vida

Independentemente do tipo de alimentação, seja amamentação no peito ou na mamadeira, a maioria dos bebês sofre alguma dificuldade relacionada à alimentação ao longo das primeiras semanas de vida. São incômodos que os pequenos manifestam através do choro e que, com boa informação e cuidados muito simples, você pode evitar.

Soluço
Os bebês têm grande tendência para soluçar, mesmo enquanto dormem. O soluço acontece devido a contrações do diafragma e músculos respiratórios, que ainda são muito imaturos e acabam sendo estimulados ou irritados com facilidade. Geralmente os episódios de soluço são normais e não há o que se preocupar. Mas caso sejam intensos a ponto de atrapalhar o sono ou alimentação do bebê, converse com o pediatra.

Arroto
Todas os bebês engolem ar ao mamar, seja no peito ou na mamadeira. Por isso é importante ajudá-lo a eliminar o ar ao final das mamadas. Se não forem eliminados, os gases comprimem o pequeno estômago, trazendo mal-estar e até mesmo regurgito.

Ajudar o bebê a expulsar o ar é bem simples: coloque-o de pé, contra seu peito, com a cabeça inclinada em seu ombro. Ponha as mãos nas costas do bebê com firmeza e se ele não soltar o arroto em uns 5 minutinhos, caminhe com ele na mesma posição, dando pequenas batidelas delicadamente em suas costas. Se ainda assim o ar custar a sair, experimente deitá-lo de costas sobre os seus joelhos durante uns 10 segundos, depois torne a colocá-lo na posição anterior.

Regurgito
É normal que de vez em quando o bebê dê uma golfada de leite ao arrotar. Não há o que se preocupar se ele se mantém são e continua aumentando de peso.

Vômito
Ao contrário do regurgito, o vômito é abundante e sai a distância. Se for frequente, com coloração verde ou com sangue, pode ser um sinal de perigo: leve o bebê ao pediatra.

Diarréia
Os bebês que mamam costumam ter evacuações mais líquidas e constantes nos primeiros dias, quase sempre logo depois de mamar. Mais tarde, embora as fezes não percam suas características, o intervalo entre uma evacuação e outra se espaça. O ritmo de evacuação de uma criança criada com leite materno é diferente da criada com mamadeira. No primeiro caso as fezes têm cor amarelo-claro. No caso de alimentação com mamadeira, as fezes são castanhas ou verde-amareladas.

Para se considerar diarreia é preciso que haja evacuações frequentes, de consistência aquosa e por vezes acompanhada de muco ou sangue e um cheiro muito desagradável. Esta situação geralmente vêm acompanhada de febre, falta de apetite, tristeza e vômitos. Consulte o pediatra imediatamente.

Cólica
É o incômodo que o bebezinho que está mamando pode sentir, a partir da terceira semana de vida, acompanhado de choro, agitação e encolhimento das perninhas. Geralmente a criança fica bem o dia todo mas ao final da tarde começam os episódios. O bebê chora sem parar, seu rostinho fica avermelhado e a expressão é de dor e sofrimento. Ele também se contorce e flexiona as perninhas em direção ao abdômen e a barriguinha pode ficar endurecida. Nesses casos o melhor é você permanecer calma e tentar segurar a criança numa posição em que ela se sinta cômoda, por exemplo, com o abdômen dela sobre sua mão. A causa das cólicas não é bem esclarecida e assim como começam repentinamente também desaparecem para o alívio de todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *