Toda mãe sente culpa. E às vezes começa na gestação!

Ao descobrir que seremos mães, automaticamente passamos a nos sentir culpadas. Seja por não estar no peso ideal para gestação ou por termos engordado muito mais do que o recomendado ao longo dos 9 meses, alguma coisa sempre nos deixará com sentimento de culpa.

E se você passou por essa fase de forma tranquila, quando o bebê nasce não tem mais jeito.. aí o sentimento de culpa nasce junto mesmo! E não importa se você tem 20, 30 ou 40 anos, se é CEO de uma empresa ou dona de casa, se vive numa cidade pequena ou grande… a culpa é democrática!

“A culpa pode trazer reflexão e equilíbrio. O truque é que você precisa estar no controle da culpa, ao invés de deixá-la controlar você.” dizem Devra Renner e Aviva Pflock, autoras do livro “Mommy guilt”.

São tantos e tão diferentes motivos para uma mãe sentir-se culpada que listamos aqui os mais comuns, os que em algum momento da maternidade acabam acontecendo:

# Não ter conseguido amamentar
Deu de mamar por alguns dias ou por alguns meses e realmente não teve jeito! Diferentes motivos levam ao uso das fórmulas e tudo bem. Sim, o leite materno é o melhor para o bebê, mas bebês alimentados com leite artificial também se desenvolvem normalmente.

# Deixar seu filho com outra pessoa enquanto trabalha
É de arrasar o coração deixar o filho chorando em casa ou na escolinha. E quando ele fica doentinho e você não pode ficar com ele? Bate aquela vontade de jogar tudo para o alto! No retorno ao trabalho, depois da licença-maternidade, essa sensação é inevitável. Às vezes até é bom passar um tempinho longe da criança, levando uma vida de adulto, mas não tem jeito… a gente se sente culpada por sentir esse prazer também! Mãe… ser complexo!

# Não passar mais tempo com o filho
Sair com o filho dormindo e voltar quando ele já está de pijama novamente… que aperto no coração! Mas qualidade não é quantidade: quando estiver com seu filho, esteja realmente com ele, com sua atenção e pensamento também. Brinque, conte histórias, ajude na lição de casa ou simplesmente assista tv. O importante é pelo menos neste momento esquecer o trabalho e todos os outros problemas.

# Não oferecer comida fresquinha
Você não está conseguindo sustentar a família, manter a casa arrumada e proporcionar uma alimentação fresca e natural para a família?? Ainda bem que você é normal!!  A culpa de não oferecer o melhor alimento para o seu filho vem na hora de recorrer à pizza ou à papinha pronta. Situações de emergência ou um dia estressante sempre acontecem. Nesta hora, resta fazer as escolhas que sejam mais saudáveis, dentro do possível.

# Usar aparelhos eletrônicos como babá
Quem nunca? Só para conseguir completar uma tarefa ou às vezes até ir ao banheiro! Especialistas recomendam 2 blocos de 15 minutos por dia, para crianças de menos de 2 anos. Então é só estabelecer os limites e tudo bem.

# Gritar, perder a calma
A pesquisa de Pflock e Renner, do livro “Mommy guilt”, descobriu que perder a calma é a causa número um de culpa entre as mães. A verdade é que ninguém se sente bem em gritar com os filhos, mas momentos de fúria acontecem. Até a pessoa mais tranquila pode perder a paciência de vez em quando, principalmente quando há estresse envolvido: cansaço, TPM, problemas no trabalho, doentes na família… Só não deixe a gritaria se tornar um hábito.

# Não poder bancar muitas coisas
Os amiguinhos da escola viajam para lugares incríveis, fazem festinhas, aulas-extra e infelizmente não dá pra bancar o mesmo pra seu filho… A gente se sente péssima por não dar o que se considera o melhor, para a pessoa mais importante do mundo. Mas anote aí: muitas coisas que consideramos “necessárias” na verdade não são. Crianças realmente precisam é de amor. Além disso, um passeio em família pode ser tão especial quanto um dia em alguma cidade da Europa.

E a lista continua…

  • Não conseguir identificar porque seu bebê não pára de chorar
  • Esquecer de verificar a temperatura da papinha e o bebê queimar a boca
  • Demorar para trocar a fralda e descobrir que o bebê ficou assado
  • Deixar o filho cair (acidentes acontecem)
  • Esquecer a segunda dose da vacina
  • Deixar ele comer um chocolate ou um pastel e a barriguinha ficar dodói
  • Duvidar da escola até que o filho pare de chorar no portão de entrada

Em resumo: independente da situação ou do que você faça, sempre vai se sentir culpada. Mas por quê???

Especialistas afirmam que toda essa culpa acontece porque as mães querem ser perfeitas, seja por razões pessoais, culturais e até religiosas. Em alguns casos a própria família cria essa sensação quando insiste em querer dizer o que se deve ou não fazer com os filhos. A maternidade está virando angustiante porque as mães querem trabalhar, cuidar da casa, dar conta do filho e ainda fazer tudo isso perfeitamente.

Nenhuma criança precisa de mãe perfeita. Filhos precisam de mães coerentes. Mãe culpada não consegue sentir prazer na maternidade. Reconhecer seus limites, valorizar seu esforço e dedicação já alivia uma boa parte da culpa.

 Dicas importantes

👉 Mães não são infalíveis. Com toda essa culpa, permita-se sentir tristeza por um tempo. Em seguida, aceite que você fez tudo o que podia e bola pra frente.

👉 Encare seu trabalho como um propósito importante, seja para o bem-estar da sua família, para sua realização profissional ou até para o estabelecimento da independência do seu filho. Seu trabalho é um motivo de orgulho, mãe realizada torna-se uma pessoa mais feliz.

👉Lembre-se que, se seu filho tiver todas as vontades constantemente atendidas, ele nunca vai aprender o valor do trabalho, do dinheiro e das conquistas.

👉 A melhor pessoa pra saber o que é melhor para o seu filho é você.

👉 Converse, converse, converse com seu filho. Explique seus sentimentos, reconheça erros, alimente o vínculo amoroso através do diálogo. Ele até pode não entender tudo mas saberá que existe um motivo em suas ações.

Seja feliz! 😉😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *